1 de setembro de 2013

Quando a gente procura nos outros o que deveria estar na gente


Imagem: Kafepazu
É só acessar qualquer rede social (e atualmente, passamos muito tempo nelas), para ver que a carência é um assunto muito comentado. Mil frases sobre carência. Desabafos. Desejo de ter um namorado. Ou alguém. Reclamações por estar sozinho. Alguém já parou para se perguntar o que é exatamente essa carência, da qual todos parecessem sofrer e ninguém cura?

A carência é, na verdade, a falta de afeto. Vivemos buscando por afeto. Postamos uma foto ou status e queremos curtidas e comentários para ver se as pessoas estão prestando atenção na gente. Se elas se importam. Ficamos nervosos e irritados quando alguém visualiza a mensagem e não responde de imediato. O desejo é que o outro centre seu mundo em nós. Que todo mundo nos mostre o quanto somos amados e queridos.

Tornou-se uma obsessão a necessidade por atenção alheia. Quem nunca ouviu aquelas histórias de alguém que inventou que tinha alguma doença no Tumblr? Tem as clássicas postar fotos de crianças doentes e perguntar: “quantas curtidas essa princesa merece?”. Adolescentes se cortam para postar as fotos na internet. Meninas com 11, 12 anos, ainda com corpo de criança, postam fotos seminuas em busca de atenção. Cada vez mais jovens, garotas e garotos começam a buscar um “amor perfeito”. Principalmente as meninas, elas desejam um namorado que “mande mensagem o dia todo e ligue de madrugada para dizer que me ama”. Meninas que se o namorado não atende a ligação de primeira, já se imaginam traídas e armam o escândalo. Revoltam-se e postam no Facebook que não existe homem que presta. E já começa a busca por curtidas e comentários, de alguém para a consolar.

Ninguém jamais está realmente sozinho. Mesmo durante a madrugada, o celular ainda está ligado e recebendo notificações. É a primeira coisa que vemos quando acordamos. O que aconteceu com o mundo lá fora enquanto dormíamos. Prestamos atenção apenas ao exterior, nos outros, e vamos esquecendo de nós mesmos.Se parássemos por um segundo e olharmos para dentro, ao invés de pedir para outros olharem para nós, talvez aprendêssemos que não precisamos de aprovação de todo mundo o tempo todo. Que a única pessoa que precisamos agradar é a nós mesmos, porque a felicidade é nossa. Felicidade é um estado interior, não algo que encontramos nos outros. Que nós mesmos podemos nos fazer felizes, mesmos solitários, ou então no meio de muita gente.

Nós mesmos podemos nos dar o afeto e o carinho que tanto procuramos. Tratando nosso corpo e mente com respeito, desligando aquela vozinha no cérebro que critica você mesmo o tempo todo. Parando de se comparar com pessoas que tem histórias de vida tão diferentes da sua que é impossível alguma comparação com lógica. Parando de esperar amor dos outros, e dando amor a nós mesmos. Ame-se. Clichê, claro, mas verdadeiro. Pare de desejar atenção incondicional de todos e qualquer um. Pare de dar atenção a tanta gente sem importância. Dê atenção para você mesmo. Talvez você descubra que não é tão dependente de likes na suas fotos quanto pensa que é.


Daniela Mendes, 20 anos, futura médica. Seu maior sonho sempre foi cursar medicina. Coleciona sapatilhas e esmaltes, e é apaixonada por livros, seriados, culinária e gatos.

6 comentários:

  1. Amei o texto!
    E o triste é que é verdade, a gente acabou se tornando dependente dos outros pra ser "feliz" - ou o que a gente acha que é feliz. O preocupante é quão longe as pessoas vão por atenção, muita gente simplesmente perdeu a noção.
    Beijos!
    Isa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Isa. É exatamente isso, a maioria nem sabe o que é essa felicidade que está procurando.

      Excluir
  2. Daniela, pensei que fosse a unica que pensasse desta forma. Obrigada por nos mostrar esta triste realidade. Mas espero que com seu texto as pessoas parem, reflitam e olhem para si mesmas e percebam que não precisam de um "like" em suas vidas, que isto pode ser algo sem importância.
    Belíssimo texto, parabéns. E continue a nos presenciar com sus texto!
    Érika Batista

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Érika, fico feliz de saber que eu não sou a única que pensa assim. E se meu texto fizer pelo menos uma pessoa refletir um pouco, já é alguma coisa, não é?
      Obrigada pelo elogio. :)

      Excluir
  3. adorei o texto!amei a ultima frase '' Dê atenção para você mesmo'' as vezes a gente não paramos pra prestar atenção para o que realmente somos né?
    http://menina--estilosa.blogspot.com.br/
    Beijos <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Acho que muita gente hoje já nem sabe quem realmente é,porque só tenta ser igual a todo mundo. Beijos.

      Excluir

Olá queridos leitores e leitoras!
Que bom que gostaram do post! Responderemos assim que pudermos.
Continuem comentando a opinião de vocês, porque é isso que faz o Coffee and Movies crescer e sempre melhorar.
Gostaríamos apenas que vocês seguissem algumas regrinhas legais para manter tudo em ordem:
- Não postem comentários anônimos. Esse tipo de comentário não será divulgado e nem respondido. Temos o maior prazer em sempre responder às suas mensagens e é importante então podermos saber quem são vocês. Além de estreitar nossas relações, não é mesmo?
-Tem interesse em divulgar o seu trabalho aqui no nosso espaço? Envie uma mensagem para Contato e especifique que se trata de publicidade e/ou parceria, para assim fazermos uma negociação.
- Saibam que todos os comentários postados aqui são moderados pela autora do blog, e ela não aceitará, em nenhum motivo, comentários machistas, preconceituosos, desrespeitosos ou difamações.

Obrigada por colaborar com o Coffee and Movies!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...